Início>Política de benefícios: saiba como fazer o planejamento para sua empresa

Política de benefícios: saiba como fazer o planejamento para sua empresa

Criado em: 5 de janeiro de 2021Atualizado em: 12 de maio de 2022Categorias: Gestão6 min de leitura

Gestores que buscam o fortalecimento da marca empregadora precisam encontrar as melhores formas de se destacar e chamar a atenção dos talentos do mercado. A criação de uma política de benefícios é uma das alternativas mais interessantes para mostrar valorização do capital humano e promover qualidade de vida.

Mas estabelecer um plano de vantagens não deve ser um processo feito sem planejamento e análise. Cada organização precisa estudar quais benefícios são mais viáveis para integrar o pacote e quais são os caminhos para que essa estratégia tenha verdadeiro impacto positivo na rotina dos profissionais.

Neste artigo, você vai entender o que é a política de benefícios, qual sua importância e como a gestão de pessoas pode contribuir com um planejamento eficiente nesse sentido. Continue a leitura e confira.

O que é a política de benefícios?

A política de benefícios de uma empresa é o pacote de vantagens concedidos aos colaboradores como forma de remuneração extra, valorização do trabalho e incentivo ao desempenho. Os benefícios corporativos vão além dos exigidos em lei e visam a proporcionar maior bem-estar aos profissionais. Com isso, a organização demonstra genuína consideração ao seu capital humano.

Uma política de benefícios funciona da seguinte forma: funcionários contratados pela corporação passam a ter acesso a vantagens além do salário. São facilidades que podem estar vinculadas à saúde, à cultura, ao lazer, à vida familiar ou mesmo ao desenvolvimento pessoal.

A grande importância de instituir uma política de benefícios é conseguir se diferenciar de outras empresas do mercado. Tendo a oferta de vantagens extras, os talentos se sentem mais atraídos às oportunidades de trabalho na instituição.

Além disso, essas facilidades são excelentes instrumentos de retenção de pessoas, já que a qualidade de vida no trabalho e fora dele acabam melhorando por conta dos benefícios que integram a rotina.

Como planejar uma política de benefícios?

Planejar uma política de benefícios exige uma análise completa das necessidades e objetivos da empresa, assim como do orçamento disponível. Demanda também entendimento do perfil dos colaboradores e suas preferências. Traçar um plano de vantagens sólido e sob medida para a organização é o que vai garantir sucesso nessa iniciativa.

Veja a seguir alguns fatores que você precisa considerar na hora de planejar o pacote de benefícios da sua corporação.

Conheça as exigências da lei

Um dos maiores equívocos que o Departamento Pessoal pode cometer ao oferecer benefícios corporativos é confundi-los com os direitos trabalhistas. Práticas como 13º salário, férias e vale-transporte são obrigatoriedades legais e não podem ser consideradas benefícios.

Por isso, é importante começar o planejamento estudando quais são os direitos dos colaboradores segundo a CLT e segundo a convenção coletiva de trabalho de cada função.

Entenda o perfil dos profissionais

Outro ponto importante ao planejar uma política de benefícios é fazer um mapeamento do perfil dos profissionais que atuam na corporação, visando a entender as preferências deles e às vantagens que serão mais atrativas e mais bem aproveitadas.

Por exemplo, pessoas mais velhas podem achar indispensável um plano de saúde, assim como quem tem filhos. Já times de talentos mais jovens podem preferir benefícios que estejam associados à cultura ou à flexibilidade de horário.

Nesse momento, é interessante contar tanto com o apoio dos gestores, que podem oferecer uma visão mais apurada das equipes, quanto com a opinião dos próprios contratados. Uma pesquisa com os colaboradores é um bom ponto de partida para entender quais são as opções mais interessantes para implementação.

Defina o modelo do plano

A etapa seguinte consiste em definir qual tipo de plano será seguido pela empresa. Algumas instituições optam por um modelo fixo na política de benefícios. Isso significa que todos os funcionários vão receber as mesmas vantagens extrassalariais.

Já no modelo flexível, a organização tem uma lista de benefícios, e cada pessoa pode escolher um determinado número de facilidades. O interessante desse tipo de plano é otimizar ao máximo o uso dos recursos, já que não haverá concessão para aqueles que não têm intenção de utilizar algum serviço.

Estruture a política de benefícios

Outro momento importante trata da estruturação de toda a política de benefícios. Primeiro, é preciso que o Departamento Pessoal saiba qual é o orçamento disponível para a iniciativa. Depois, é preciso que, dentro dos recursos disponíveis, o setor faça parcerias com empresas de benefícios.

Durante o planejamento, vão ser definidos os benefícios que serão adotados pela organização. Atualmente, existe uma gama de opções para escolher, como:

  • plano de saúde;
  • plano dentário;
  • auxílio-creche;
  • vale-cultura;
  • participação nos lucros;
  • possibilidade de home office;
  • parceria com academias;
  • desconto em cursos e universidades
  • cesta-básica, vale-refeição ou vale-alimentação.

Depois de escolher quais benefícios corporativos vão integrar o pacote, também é importante criar regras claras para concessão e uso. Dessa forma, a empresa se resguarda legalmente nessa área.

Conte com ferramentas de gerenciamento

A política de benefícios costuma se tornar uma responsabilidade a mais para o Departamento Pessoal lidar na rotina. Mas é possível otimizar esse trabalho ao contar com ferramentas de gestão de benefícios. Elas permitem maior controle das ações e das pendências relacionadas às vantagens oferecidas aos profissionais.

As plataformas podem ajudar a administrar tanto os direitos trabalhistas, como o vale-transporte e as férias, quanto os benefícios, como plano de saúde. Quando a gestão consegue uma visão mais ampla desses processos, é mais fácil pensar em formas de economizar e garantir o melhor uso do orçamento disponíveis.

Garanta uma boa divulgação

Por fim, a última fase do planejamento da política de benefícios inclui a implementação e a divulgação dessa novidade para os colaboradores, afinal, eles serão os grandes beneficiados com essas facilidades.

É importante mostrar quais foram as motivações da organização ao oferecer o plano de benefícios, explicando o desejo por uma melhor qualidade de vida associada ao trabalho dos profissionais. Além disso, é necessário que as regras e a forma de adesão ao programa estejam claras para todos.

Por fim, esperamos que este conteúdo tenha ajudado você a perceber como uma boa política de benefícios pode favorecer o bem-estar e a satisfação das equipes da sua corporação. Esse tipo de plano é um grande atrativo para novos talentos, além de fomentar maiores índices de retenção e um melhor clima organizacional.

Compartilhe este artigo!

Postagens relacionadas